quinta-feira, julho 29

Perdido em Anos


Precisava deste momento
pelas belas ruas, pelas ruas de Porto Alegre.
O que vivi hoje foi o presente que algum dia perdi
Escondia-me por trás das críticas,
Escondia-me por trás daqueles que não entendem-me,
Escondia-me por trás do que um dia fui e esqueci.
Acidentalmente, não era mais a mesma
Há quase dois anos, os dedos não escorregavam pelo papel.
Ah, quanto jejum, quantas correntes!
Desperdício? Penso que não.
O fluir desapareceu, esmoereu-se
Escondi-me na história para devorar o que sou.
Não posso, não consigo, não há forças em mim
Não há forças capazes de me aljemar.
Sim, até desejei escrever, pensar em rimas
mas não seria como agora
não haveria o natural
os dedos não tremeriam a cada palavra.
Só me resta agradecer:
A Mario Quintana, ao museu;
à minha tia, minha prima;
a Porto Alegre e, com certeza,
ao que um dia já soube ser.
Obrigada, Deus meu!
Não mais me esquecerei
Não há mais refúgio,
Reconheço:
Do pó vim,
para o pó irei.
Será assim, como sempre desejei. 

16 comentários:

Anônimo disse...

Vergonha alheia. :/

daniela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Quanta mistura... O que quiseste realmente dizer com esse poema? Parece uma colcha de retalhos lugares-comuns. Aconselho-te que leias mais.

Luiz Brisa disse...

ta bem escrto
gostei
a imagem combina bem
^^

daniela disse...

mto bom o poema Laura! eu gostei.
mas, como a internet é pública, sempre haverá críticas tbm! mas que elas ajudem pro teu aperfeiçoamento, beijos!

Medeiros Alencar disse...

A libertação do passado é um grande início de novas aventuras.
Vc tá indo no caminho certo, escreva... escreva e escreva, um dia serás grande.
Abraço

Lucas disse...

Parabéns pelo poema, pelos oustros posts, pelo blog!
Gostei muito, super criativo e uma mistura de coisas rs. Sucesso!

Angel disse...

Apesar das criticas, não desista,e não pare só pq tem gente idiota que não sabe respeitar os sentimentos dos outros. Busque sempre antes dentro de ti a plenitude, a inspiração. Bjaum ;) Ah, e eu curti SIM tá? rs

Luciano disse...

gostei tbm do seu poema,pessoas assim devem ser estimuladas sempre pq é legal refletir de vez em quando

Jaqueline disse...

Eu gostei do poema. Gostei porque tudo tem um inicio e um fim

Bruna Marzullo disse...

Aiii Prima!
Eu fiz parte deste teu momento *--*

Linda poesia, fui a primeira a ouvir =D

E nós vamos ter a nossa Casa de Cultura ;)

Jeniffer Pajares disse...

Lauinha fofinha, já disse isso mas teus textos são demais! Mt originais mesmo. Queria ter essa tua criatividade.
AMor , tu vai longe!

Eduardo Andrade disse...

nunca fui em Porto Alegre, mas tenho um apreço imenso pela cidade e muita vontade de conhecer!

essa postagem me lembrou uma música do Engenheiros "ando só"

parabéns!

você me surpreende com suas palavras (:

J.R. disse...

Adorei o seu texto. Muito bem escrito...você sabe mesmo trabalhar com as palavras. Parabéns pelo blog. Abraço.

Caroll disse...

Parabens!
Texto mto bom!
Linda imagem!


www.blogrevendedoronline.blogspot.com

Anderson Massolino disse...

Certos poemas tem uma riqueza em pequena historinha,
para achar basta acessar,
faça uma busca e ele irá localizar,
o blog coisas de laurinha.

Oi Laura,muito bom o seu texto,adorei mesmo.
bjs

Postar um comentário

Bem-vindos!

Minha foto
Um conjunto de antíteses e uma mente apaixonada, que pulsam juntos em forma de sonhos. Graduanda em Psicologia e ex-estudante de Jornalismo na UFRGS.

Eles aprovam: