quarta-feira, fevereiro 23

Justin Bieber em Três Dimensões

   Diferente do que muitos imaginam, a fama de Bieber não nasceu no decorrer de um ano, ela já existia desde sua infância, apenas não era conhedida pelo mundo todo. Contráditório, não? Uma fama sobre que o mundo não tem indícios pode, ainda assim, ser considerada como "fama"? No caso de Justin Bieber, sim.
   Para a família do canadense, desde seus primeiros anos ele já era um astro. A mãe, que se divorciou logo depois do nascimento do filho, passou a dedicar toda sua vida a ele. Com dois anos de idade, JB já arranhava as cordas de um violão. Por outro lado, Bieber não se limitou apenas ao conjunto de seis cordas acústicas, ele arrasava também com a bateria ( que de início, era de plástico). Os avós maternos, que sempre participaram de sua educação ao lado da mãe, vibravam com tamanho talento e viram-o crescer ao lado do que mais tarde se tornaria o alicerce de seu talento - o violão, a bateria,  o teclado, o trompete e, claro, a voz.
   Um garoto orientado por uma família que lhe ensinou a respeitar todas as pessoas e a ser "um bom homem" como diz o avô. Avô esse que era o primeiro a resgatar a câmera para registrar as artimanhas do neto, que saía pela cidade a cantarolar e que só se via contente depois de conquistar a atenção dos que estavam ao seu redor, recebendo, então, as devidas palmas.
   Em alguns anos, essas palmas se estenderam das ruas da cidade até as maiores casas de show do mundo. Aceitou o desafio de se apresentar no Madison Square Garden, onde geralmente é difícil que todos os lugares sejam preenchidos. Em apenas 22minutos, todos os ingressos já haviam sido vendidos.
   E para mostrar como foi e tem sido a carreira deste fenômeno mundial, na próxima sexta-feira, uma estréia nacional será o filme "Justin Bieber: Never say never. Através da produção, é possível saber de que forma surgiu a fama que iniciou por um canal do youtube e como suas músicas e seu estilo se tornaram a sensação dos adolescentes.

    Mais do que isso, o astro mostra a perserverança necessária para a realização de um sonho, os benefícios e também os problemas que surgem ao deixar uma vida comum para iniciar uma jornada repleta de shows e de assédio.
   É uma oportunidade não só para os fãs se emocionarem, mas para que os mais distantes da carreira do ídolo POP possam ser tocados por seu talento. Certamente, todos aqueles que assistirem sairão da sessão com a mesma sensação de quem foi a um show: quer-se dançar, quer-se cantar.

10 comentários:

César disse...

Que bosta de filme é esse!!!!!!!!! Só pode ser 1 prestagio do apocalipse

Láh/ disse...

Não me conformo com isso! Tem tanto artista bom e importante para a cultura, e eles resolvem fazer um filme do Justin Bieber?
Nada como a ganância..

Rubi disse...

Apesar de não gostar muito dele, devo admitir que ele anda fazendo muito sucesso.

Cada um tem seu tempo, não é mesmo ?
Vamos esperar pelos próximos nomes.

Excelente post!

César disse...

Tem bobo pra tudo né...tanto filme bom por, tem otarios que ainda vão perde tempo assistindo isso.

@JustinBieberPOA disse...

AAAH Eu amei o filme foi PERFEITO ,acho que todas as beliebers que vai ir ver com certeza vao se emocionar e muito ,poder ver ele tao de pertinho é explendido eu simplismente to sem palavras ,so sei que eu chorei e muito de emoçao ,de orgulho ,de querer esta ali na equipe dele ,de ver que ele tem uma familia e amigos que se importam com ele *---* Ate agora estou muito EMOCIONADA E FELIZ DE TER IDO NA PRE-ESTREIA :)

@JustinBieberPOA disse...

O filme é incriverl, ele tem muito talento desde criança, e não teve uma vida facil, e ainda não tem, é dificil para um garoto de 16 anos ser assim.Então pra quem fica falando mal dele o supere primeiro (= (Bruna)

ToDDy disse...

Muito bom o blog ..... vim retribuir o comentário .... boa sorte como jornalista espero que não joguem neve em você uahuaauhuaaa

Vanderlei Amaral disse...

Muito bom o seu ponto de vista. Não é o mesmo que todos dizem, sem saber do que falam. Não, eu não gosto das músicas dele e, sinceramente, nunca as ouvi inteiras. Mas há uma grande diferença entre não gostar e odiar. Infelizmente, hoje em dia as pessoas deixam de falar bem do que gostam para falar mal do que não gostam.
Parabéns.

reflexoeshomeopaticas disse...

"Uma fama sobre que o mundo não tem indícios pode, ainda assim, ser considerada como "fama"?"

Não ficou muito boa essa frase, uma reformulação como "uma fama que o mundo não tem indícios..." podia deixar melhor o/


"...viram-o crescer ao lado do que mais tarde se tornaria o alicerce de seu talento - o violão, a bateria, o teclado, o trompete e, claro, a voz."
O alicerce de seu talento seria a voz? Ou tu quis dizer que todos os instrumentos mais a voz eram o alicerce?

"...e a ser "um bom homem" como diz o avô."
faltou uma vírgula antes de "como" o/

E pós-vídeo, há a palavra perseverança escrita com um "r" a mais o/
"...o astro mostra a perserverança..."


Texto jornalístico que poderia, dadas as correções, ser lido na Zero Hora. É um bom elogio, dado teu curso ^^


P.S.: a idéia é que tu se vingue de tantas correções e destrinche meus textos da maneira mais cruel possível =B

Massolino disse...

Quem nasce com um dom desses,não tem como não fazer sucesso.ele aproveitou!!

ps: desculpa laurinha,depois de um ano,voltei a prestigiar teu blog!!

Postar um comentário

Bem-vindos!

Minha foto
Um conjunto de antíteses e uma mente apaixonada, que pulsam juntos em forma de sonhos. Graduanda em Psicologia e ex-estudante de Jornalismo na UFRGS.

Eles aprovam: