segunda-feira, abril 19

Ocupando lugar no espaço.



  Ao observarmos outras culturas, surpreendemo-nos com alguns de seus costumes. Questionamos como é possível pessoas se relacionarem de maneira diversificada, crerem em símbolos que para nós são de simples uso diário ou mesmo se alimentarem de animais ou de ervas que não degustamos. Dentre todos esses itens, um que instiga a todos é a morte e de que forma ela é vista em cada local.
    Há inúmeras crenças sobre o que ocorre ou não depois que deixamos esta Terra. Fato é, em certo momento, todos nos vemos em reflexão sobre tal acontecimento, que mexe com nossas emoções, nosso inconsciente, nossas crenças, lembranças.
  Embora julguemos estranhas muitas das atitudes de outras sociedades, por algumas fazerem parte de nosso dia a dia, não conseguimos enxergar aquelas que também possuem "um quê" de anormais em nosso meio. Você já parou pra pensar sobre porque costumamos enterrar nossos entes queridos? 
   Hindus e gregos, por exemplo, procuravam incinerar seus mortos, mesmo que por diferentes motivos _ já que o primeiro marca a destruição integral da existência, para se ver livre dos pecados, enquanto o povo grego preparava-os para outra condição de existência, para a perpetuação de uma "vida diferente" . Ocidentais, por outro lado, procuram enterrar os mortos; costume que provém de um culto à carne e às características dos indivíduos, que seriam guardadas por meio de seus corpos. De geração em geração, o costume é passado e nenhum de nós se opõem a tal atitude.
  De alguma forma, isto me instiga e me faz pensar de forma diferente. Observo problemas na existência de cemitérios,cujo único intuito é ocupar lugar no espaço. Algum de vocês teve a oportunidade de enxergar um "corpo" depois de alguns anos dentro de um caixão? Não resta nada, porque não é a carne que possibilitou o carinho, as lembranças. Por que permitir que partes como essas sejam guardadas? Corpo é apenas uma forma pela qual nos expressamos, mas não há motivo para que seja venerado de maneira exorbitante, principalmente depois de que acaba a existência. Não vejo valor, proveito ou motivo para que corpos sejam depositados em algum ambiente, acho sim que é interessante a doação de órgãos ou mesmo de toda a estrutura para que seja usufruída como estudo, como fonte de futuros conhecimentos. Às vezes, comento com amigos que gostaria de que meu corpo fosse depositado em uma floresta para que servisse de adubo para as plantas e, embora pensem que estou brincando, expresso isto com seriedade.
  Sei que muitos hão de me criticar, me acharão insensível, contudo, sinceramente, acredito que sou mais sensível por pensar desta maneira. Enxergo o que há de verdadeiro nas pessoas, aquilo que elas amam, prezam, cuidam e tudo isso não se reflete em suas estruturas corporais, mas no modo como se portam, como falam, como agem, como vivem. Vejo sensibilidade no pensar, no questionar alguns de nossos costumes que só existem porque ainda não estamos abertos à mudança, ao avanço, a formas diferentes de se observar. 
   Trato de um exemplo realmente instigante, mas há inúmeros tratados por nós com o mesmo egoísmo. Creio que, em nossa vida, há mais restos guardados e amontoados de maneira desastrosas  do que a vida em sua essência, que procura o simples prazer, que valoriza o peculiar, o diferencial, o marcante. É  simplismente penoso que cheguemos a este ponto.

 Assim inicio a semana e deixo meus sinceros abraços. Até mais.

27 comentários:

Heitor Aparicio Costa disse...

Ótimo texto e parabéns pelo blog, ja estou seguindo !!

http://malokeiroesofredor.blogspot.com/

iMarty Turbo disse...

mt bom o blog depois eu volto

Isabela disse...

Nossa, amei o post. E você me pegou... Por que enterramos os mortos?
Acho que, mesmo que em algum momento essa atitude tenha possuído um significado, agora as pessoas só enterram os corpos por tradição, ou pelo fato de acharem que os seus entes amados ficarão guardadinhos. Bom, não sei. :(
Ótimo blog. Parabéns.

Dear Letícia disse...

Olha sobre a questão de "porque enterramos os mortos?". O primeiro ato que demonstra o pensamento do ser humano é quando ele começa a enterrar os seus mortos. Parabéns, belo post.

http://www.dearleticia.blogspot.com/

futilidadeseutilidades disse...

tradição ou não, acho válido respeitar a opção de cada um
belo post
bj

Igor Gonçalves disse...

Laura! Que coincidência, meu blog é em parte dedicado a uma pessoa chamada Laura hahaha

mas falando sobre seu texto, achei ótimo. Bem escrito, e só vim visitar aqui, por causa do seu nome ein hsaahah

e sobre enterrar é meio que relacionado a pensar, pois o homem antigo simplesmente deixava o corpo do outro jogado. É uma questão religiosa também, sempre tem aquele lance ' para onde vamos? '... creio que é isso.

belo texto, curti curti !

visite o meu também, é dedicado a uma Laura !

http://youngmodernstation.blogspot.com/

Jhonatan disse...

Achei legal o texto, parabéns

Da uma passa la no meu blog, derrepete vc goste também

www.distracaodigital.blogspot.com

Luan Silva disse...

Laura, demorei comentar por que sou recém titio aii já sabe né!! Pois bem, seu texto requer um pouco de reflexão e discussão para formularmos uma opinião mais sólida. Porém acredito que a resposta mais lógica para o costumo que temos de enterrar os mortos se trata de uma tradição que já vem de gerações.. amanhã passarei com mais calma.. Abraços.. DetalhE: esse texto é ótimo para um aula de filosofia.. Fui

Luiz Brisa disse...

respondendo(sua pergunta vai p/ nosso FAQ em breve)"pq td gostao d tirinha?" pq assim a gnt ganha a tenção d garota lindas como vc e ja chega comentando rindo e isso eh uma grande alegria p/ nos ;*D
rsrsrsrs
ah to seguindo


http://vagalnerdkawai.blogspot.com/

Rejan disse...

Muito interessante o blog, tu escreve mt bem *-*
parabéns e sucesso (:

http://hell-boyy.blogspot.com/

Igor Gonçalves disse...

Olá! Sim, essa minha Laura é quem me inspira para escrever essas coisas. Ah, eu vi seu blog na comunidade. Ás vezes eu posto lá pra alguem comentar no meu e eu saber se to escrevendo bem.
Aí eu vi seu nome, e pensei ' ahh se é laura deve ser legal', e vim aqui. Curti bastante o texto, é de caráter reflexivo. Bem diferente dos que eu escrevo.

E sobre meu texto, sim! eu me decepcionei no passado. E hoje depois de tempos eu só confio nessa Laura. É importante confiar em quem gosta de você.

Abraço e parabéns pelo blog !

Chega Mais! disse...

Bela pergunta..EU,particularmente acho besteira enterrar as pessoas,afinal,estamos desmatando pra depois empilharmos corpos e inúmeras vezes só nos lembrarmos deles no dia 1/11. Mas ai tm toda aquela questão religiosa,simbólica que virou tradição..E agora eu pergunto,se não enterrarmos os corpos [ou não cremarmos] o que faremos?!

Parabéns pelo blog e pelo 'motivo' dele! Sucesso!

Thiago Batticelli disse...

Legal seu texto, parabéns! Eu em especial gosto de ir a velórios porque querendo ou não, é nessas ocasiões que pensamos realmente na vida e no valor que damos a ela. É preciso saber viver.

Arthur D'mello disse...

muito bom
devemos respeitar a pluralidade.
http://www.sintoonize.com/

Macaco Pipi disse...

NÃO BASTA EXISTIR!

Anderson Massolino disse...

bom,primeiro lugar,é um belo texto sem duvida nenhuma.
o enterro é feito mais por cultura,é como se fosse um descanso para aquela pessoa que se foi.
eu não gostaria que meu corpo ficasse jogado por qualquer canto.
quanto a doação de orgãos sou totalmente a favor.
respeito a opinião de todos quanto a essa questão.

"quando nascemos todos sorriem,só nós choramos,quando morremos todos choram,só nós sorrimos"

Menina *-* disse...

Otimo texto amei. gostei do blog... Muito intereçante mesmo cara.



se quiser passa la poderia virar minha psicologa daqui a pouco rsrsrsrsrsrs
http://oqefazer.blogspot.com/

Cristina disse...

seu blog é perfeito, amei o texto
estou seguindo;*
http://criistinamoura.blogspot.com/

Daniel Figueira disse...

Ótimo texto. Adorei o blog. Bjus

http://danfigueira01.blogspot.com
http://danfigueira01.blogspot.com

Equipe Check disse...

Olha, Eu gosto de fazer Site de Download Porque eu gosto de ajudar outras pessoas..
Meus colegas sempre pergunta se eu sei algum programa + quando eles pergunta eu não sabia responder..
agora só pedir para eles entrarem no meu Blog.
è por Isso que faço site para Download..
+ já que você falou isso..
Eu agora vou fazer um site Misto!
Se tiver Como!!?

Ah, Gostei muito Muito Seu Blog..
Parabens e Suceso.
vlw.

Amós Barros Web Designer disse...

Muito bom o texto, parabens!
Fiquei me perguntando por que enterramos nossos mortos, boa pergunta.


http://amosbarros.blogspot.com

Theldo disse...

Pura questão de cultura. Necessidade de ter um lugar para se sentir lado a lado daqueles que já se foram. o Cemitério é mais simbólico do que material. Assim como um um anel de 15 anos ( outra questao de cultura ) toca a Jovem que está crescendo, o Cemitério toca aquele que perdeu um ente querido.

Teu blog ta ficando famoso hein. hehe
se cuida. (F)

Jéssica Hahn disse...

Adorei o seu Blog! Dei uma lida aqui e me coloquei a seguir. Se puder fazer o mesmo! Beijo.

Rogério Farias Fernandes disse...

Oi Laura.
Eu poderia fazer um "post" inteiro sobre o teu post! Hehehehe.
Eu não quero ser enterrado. Quero ser cremado. Acho mais chique! :D
Falando sério agora. Que meus órgãos sejam doados e depois eu seja cremado. Que minhas cinzas sejam jogadas em algum lugar muito bonito, para que, quem quizer lembrar de mim, ter uma paisagem linda para admirar!
Parabéns pelo blog! :D

Francisco Júnior disse...

Muito bom! É um tema delicado. Admiro você por tratar de temas tão complicados, mantendo de forma tão séria e segura sua opinião. Confesso que não tenho opinião formada sobre o assunto, mas gostei muito e me fez refletir. Abraço.

João V. Schultz disse...

Deveras interessante teu comentário. Concordo plenamente quanto ao fim que damos aos nossos entes queridos, no entanto, creio que há mais do que tradições em torno de cemitérios. Existe toda uma cultura, mitos, lendas e memórias em cemitérios. Desde a arquitetura até as lembranças que uma lápide nos causa. Cemitérios existem não pelos cadáveres, mas sim pela lápides que nos recordam da pessoa, íntegra, não apenas do corpo.

Cristina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Bem-vindos!

Minha foto
Um conjunto de antíteses e uma mente apaixonada, que pulsam juntos em forma de sonhos. Graduanda em Psicologia e ex-estudante de Jornalismo na UFRGS.

Eles aprovam: